Novidades

Executivos veem serviços compartilhados como estratégia de negócio

 
 
Picture of Michele Vargas
Executivos veem serviços compartilhados como estratégia de negócio
by Michele Vargas - Monday, 19 November 2012, 5:30 PM
 
Um clima interativo e didático marcou o café da manhã promovido nesta terça-feira (06) pela Constat, empresa gaúcha de TI referência no desenvolvimento de soluções em gestão e otimização de atendimentos, em parceira com a Dexacon Service Systems. O evento, realizado no Hotel Blue Tree Towers, em Porto Alegre, tinha como tema central “Um novo paradigma de Governança Corporativa: Estratégia de Serviços” e contou com a participação do diretor da Dexacon Service Systems, Pier Riboni, que falou sobre “Modelos de Gestão de Serviços Corporativos” e do gerente de produtos da Constat, Armando Possebon Júnior, que apresentou o software Qualitor – especializado em gestão de atendimento - e suas vantagens para os clientes, inclusive, para a própria Dexacon, com quem a empresa já mantém negócios e oferece serviços.

De acordo com Possebon, nos últimos 15 anos, mais de 90% de todas as médias e grandes empresas do mundo têm adotado uma estratégia de serviços compartilhados. “Atualmente, mais de 90% dos executivos buscam e acreditam no uso dos serviços compartilhados como uma forma de estratégia de negócio”, afirmou o gerente de produtos. Entre as conclusões esperadas com o Qualitor, Possebon disse que percebe a confiabilidade, maior previsibilidade e melhores resultados, como o aumento de produtividade de 20% a 30%.

“O Qualitor pode ser usado em empresas e processos de todos os portes”, garantiu o gerente, exemplificando que o software é indicado para empresas com plantas ou operações em localidades distintas ou que possuam várias unidades de negócio com funções similares ou, ainda, funcionários em localidades de custo elevado ou que tenham dificuldade de mão-de-obra específica e tendência para fusões e aquisições. Entre as áreas de utilização estão a de tecnologia da informação, a de atendimento a clientes e consumidores, o shared services, a central de serviços compartilhados e a ouvidoria.

Por sua vez, Riboni defendeu que hoje em dia tudo é serviço, até os bens. “Todos somos colaboradores e teremos que ser ‘orquestradores’ de serviços”, adiantou. “E quanto melhor definirmos um serviço, mais sucesso vamos ter, não importa o tamanho da empresa”, ressaltou, salientando que, justamente, é o gerenciamento de serviço que dá qualidade a ele e gera benefícios.